23.11.08

poucos goles

Um momento alegre transforma-se em algo tenso, irritante em poucos goles. A gente passa no jardim, pisoteia as flores, os insetos... e nem se toca que sujou a bota de barro. Caindo, entra em casa...largando peças de roupa pelo sofá, no corredor, no criado mudo. Quando menos se percebe se está sonhando, com mulheres que nem sequer existem.

5 comentários:

Léo e só disse...

bom isso, hein?

Sequinho e bem feito!

abs

Felipe Rangel Prado disse...

o amor das pessoas é uma coisa muita linda, Eu não sou home não na verdade eu sou uma preta velha....Mas vc pode deixar seu recado assim mesmo, não é?

May (Mayara Oliveira) disse...

lindo mesmo...

mas "molhado e mal feito" p contrariar o leo...

Bah. disse...

Apesar de tudo eu gosto da sua literatura pós-goles ;D

faniadiniz disse...

Quando menos percebo, estou correndo atrás de pessoas sem rosto também...

Lindo Gabriel^^

Beijos