11.3.12

Devolva o meu bronzeado

Moro em uma cidade grande. Ainda que muita gente possa não achar que é...pra mim, que venho de uma com a metade do tamanho, é grande sim. É dessas cidades cheias de prédio, avenidas exclusivas para carros poderem correr, ligando ponta a ponta, região a região. Pois bem. Essa cidade tem me dado muitos prazeres, muitas alegrias, realizações... apesar do tempo que me rouba. Talvez além do tempo do dia-a-dia, me roube algum tempo de vida também, quando eu for velho. Ou talvez não. Mas, o pior de tudo... o mais amargo pro meu ego foi ter meu bronzeado roubado por essa cidade. Eu que sempre me senti quase um tupi, andando sem camisa pra baixo e pra cima, com minha pele sempre queimada de sol e as marcas das tiras das havaianas no pé... eu...tão selvagem que me achava em minha semi-nudez inocente, perdi meu bronze, minha pele tostada. Fui à praia e me vi com marca de camisa: coisa triste.
Por favor, devolva o meu bronzeado, ó cidadão.

Sem comentários: