9.11.08

Ponho pra tocar

Ponho pra tocar...

Domingo à noite,
na preparação pra mais uma semana,
só queria pedir desculpas
aos meus amigos
por eu querer ficar sozinho
e mais nada.
Devo muito a mim mesmo.
Queria ter sido mais agressivo
mais forte
mais atirado
mais solto.
Mas sou só o que sempre fui:
um menino que quer ser como o pai.
Uma trajetória bonita,
de sucesso,
sem perder a ternura e a simplicidade.

Troco a música...

E por querer tantas coisas distintas
me sinto como um simples perdido.
A feira, o banheiro, um fim de semana na praia, os bares...
... minhas aulas de desenho, ponto-cruz, meninas que me rejeitaram.
Engraçado pensar nisso agora!
Dei pra ser valente:
querer roubar a namorada dos outros,
ser alpinista,
brigar na rua,
beber até cair.

Aumento o som...

Refiz o caminho da escola esses dias.
Bateu um vazio
e vi que, depois de vinte e poucos anos,
ainda sou aquele moleque de cabelo loiro, trepando na goiabeira que eu vejo todo dia,
pendurado na parede.

Começo a cantar junto...

5 comentários:

Amador disse...

já deixei de fazer muita coisa por causa do nome.
quem sabe um dia, assim como vc, tb tenho a sorte da visita das borboletas. elas voaram de mim, acho que não voltam mais.

May (Mayara Oliveira) disse...

vc tem ser divulgado!!! oq vc escreve é muito bomm!!!parabéns

felipekonno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

...εïз...

Renata disse...

Domingos são para pensar. Tédio que inspira...a indagar. Nunca encontrar respostas... E porque pensar trás aquele ar de agonia, de saudades...melancolia? Pq será?
Viu? Seu poema dominguesco me fez ficar assim: pensando.
Mas o maior problema é: a vontade de escrever o que estou pensando. Traduzir em símbolos compartilháveis pensamentos que são quietinhos e entendíveis por si só, pra mim.
o.O
blé!
=P
rsrsrsr