21.9.08

Resolvi continuar o fragmento...

Livre daquela maldita dor de barriga, estava livre pra pensar e volta a maquinar a ação daquela noite. Não seria uma noite comum. Como eu lia nos gibis: "tava na hora do pau!' E o pau comeu aquela noite, como fazia tempo não se via por aquele bairro. E o mais impressionante: quem se ferrou fui eu... e na manhã seguinte, a dor de barriga voltou, mas agora acompanhada da bílis amarelenta do meu fígado todo estropiado. Ia ter volta.

1 comentário:

Baah! disse...

Gah..acho q agora consegui entender esses seus textos..pelo menos parte deles, ne?

...